segunda-feira, fevereiro 18, 2019

Os irritantes beijinhos

Gostava de saber quem inventou e implementou a ideia de que o cumprimentar alguém tem sempre de implicar pespegar com dois beijinhos, quer de chegada, quer de saída?
De onde resulta que pespegar esses dois beijinhos (mesmo que acabe de chegar e esteja de saida 5 min depois, os 4 beijinhos têm de ser dados sob pena de ser classificada como mal educada!) é uma regra de boa educação??

Até as "tias da linha" não encostam caras e atiram um unico beijo para o ar... essa ideia já me parece mais interessante nos dias de hoje.

Quando era mais nova e esse cumprimentar implicava pespegar duas beijocas na fronhinha de algum daqueles moçoilos jeitosos da escola e afins, isso até era uma ideia gira. Hoje em dia nem tanto.

Nunca fui muito beijoqueira e hoje em dia continuo a não ser.
Por isso muitas das vezes até me esqueço dessa "regra protocolar" e lá vem o mal educada!
Mas depois, prefiro ser taxada de mal educada do que ser falsa e estar a pespegar duas beijocas em fronhinhas de pessoas que não me dizem nada e às quais às vezes me apetecia mais pespegar duas palmadas.
Falsa e socialmente correcta é coisa para a qual não tenho perfil e quem me conhece, gosta de mim como sou e não leva a mal.
Não se trata de não cumprimentar, mas se estamos a falar de pessoas amigas, de familia que me conhece e a quem obviamente digo olá, não é por não dar o beijinho socialmente imposto que sou mais ou menos educada e tenho mais ou menos consideração pela pessoa em apreço.
Até porque já me vi confrontada com situações em que socialmente tive de cumprimentar com dois beijos pessoas pelas quais não tenho qualquer respeito... mas pelo menos não me chamaram mal educada e vai tudo feliz para casa.

Sou o que sou e como sou... quem gosta, gosta... quem não gosta, porta da rua serventia da casa.
Já me basta fazer fretes no campo profissional, quanto mais ainda ter de os levar para o campo dos amigos e familia!
Todos os que não gostam... temos pena, é o que é!

sexta-feira, fevereiro 15, 2019

Dona da casa ou dona de casa

Decididamente, nasci para ser dona da casa, mas não dona de casa!
Como um Da ou um De podem marcar toda a diferença!

Resultado de imagem para imagem madame chic           OU     Resultado de imagem para imagem dona de casa


As vezes dá-me assim umas ganas de dar uma volta à casa toda e fazer umas renovações, mas isso era giro se eu fosse só a dona da casa, ou seja, ter as ideias e os €€€€ para alguém as aplicar, mas sendo dona da casa e dona de casa perde a piada toda, porque por cada ideia que tenha implica que terei o trabalho inerente a essa renovação. Pronto, perdeu o interesse!

E só de imaginar em remodelar, inovar, renovar com dois pirralhos pelo meio a gritar mamã isto, mamã aquilo e mexe daqui, mexe dali e a quererem (des)ajudar... duplamente esquece lá isso!

Estava eu aqui sentada e distraída apreciava aqui a vizinha da frente a aspirar (chão, paredes, candeeiro) e limpar o pó à varanda (varanda aberta, entenda-se) e dou comigo a pensar, mas que raio de ideia a de limpar o pó a uma varanda aberta, quando ainda por cima estamos no inverno.

E depois disto concluo que, de facto, ser dona de casa é uma chatice.
Nascer com ideias de rico e carteira de pobre é uma chatice ainda maior.

quinta-feira, fevereiro 14, 2019

Valentine's Day


Resultado de imagem para o que não dar no dia dos namorados

Como não podia deixar de ser, é o tema do dia... mais "venito" em inglês, do que dizer só dia de S. Valentim.

Encontramos, numa simples pesquisa, páginas e páginas do que dar e fazer neste dia. Sim, porque o que interessa é só este dia, nos restantes dias do ano o que interessa ser romântico??!!

Nunca gostei deste dia, com ou sem namorado, com ou sem marido... é um dia comercial, em que vira obrigação oferecer flores, chocolates e ir jantar fora, com um daqueles menus pré-definidos, todo rosmânico e tal, com vinte mil casais em volta de mão dada e todos xiriri, xororo... e se for precisam amanhã acordam a gritar e barafustar um com o outro. Mas dia de s. valentim, é dia de s. valentim, ora.

Para mim receber uma flor quando não se espera, um chocolate, um qualquer mimo é muito mais giro e romântico, do que apenas cumprir com a regra do ritual do dia.

Por isso, cá em casa somos dois casais a comemorar todos juntos... a mamã tem o namorado minorca e o papá a namorada maiorzinha... e um pai e uma mãe, que tentam ainda namorar quando os minorcas junior deixam (sim, porque temos uns filhos que têm faro de canitos, mal lhes cheira a romance... cucu, estamos aqui, olá... os verdadeiros empatas! Mas lá se tem de conseguir arranjar um tempinho e acredito que a seu tempo este "arranjar" vai passar a ser bem mais fácil. Só temos de aguentar até lá...).

Mas, ainda assim, Bom dia de S. Valentim!

quarta-feira, fevereiro 13, 2019

Banho relax

Vou tomar um banho, aproveitar para relaxar. Despir, sentir a agua quente, ficar ali a relaxar, sossegada, em silêncio, só a aproveitar o banho. Que bom!


Só que não, como diz o minorca, nada disso.
Acende o panda, corre para o banho e pensa, pode ser que ele fique entretido. Ainda este pensamento não tinha acabado e já se ouvia:
- Ola mamã, olha eu aqui. Diz olá.
- Olá, deixa só a mamã tomar banho e já vou.
- Tá bem... (e dois segundos depois)... olá mamã
- Filho a mamã vai já
- Mamã, o pai foi tabalhá
- Sim, foi e a mana foi para a escola
- ahhhh, e tu não vais tabalhá?
- Não, a mamã fica contigo até as pintinhas secarem
- Ahhh. Molha o vidro mamã para eu te vê... oláaaaaaa. Agora molha dête lado... oláaaaa
- Estou quase a acabar
- Falta muito mamã. Olha vou ligar ao chefe.
- Então via lá e diz-lhe olá.
- (dois segundos) mamã afinal o chefe chato não atende. Já tá mamã?
- Sim ilho, já tá.

E assim foi um banho sossegado e de verdadeiro relax!

terça-feira, fevereiro 12, 2019

Filme versus panda

Eu queria ver um filme, mas claro está que o minorca queria o panda... e para evitar uma birra daquelas, lá cedi e fomos os dois ver o panda.
Eis quando ele entretanto perde o interesse e anda por ali a cirandar... e o grave da coisa é quando dou comigo a inclinar-me para olhar para a tv, porque ele estava à minha frente, para ver o desenho animado que estava a passar!
É nesta altura que percebemos que já estamos há demasiado tempo enfiadas em casa!
Isso e andar a fazer corridas de trotinete com o minorca na garagem... se calha um dos vizinhos a entrar encontravam dois malucos a gritar pela garagem fora e a fazer uma corrida de trotinete (sendo que mãe se encontrava a circular na trotinete da filha, que está na escola, pelo que a imagem ainda seria melhor).

Decididamente, muito tempo enfiados em casa!

segunda-feira, fevereiro 11, 2019

Gato ao contrário

Sim, tenho um gato que é o contrário de tudo...
Em regra os gatos não gostam de banho, este mete-se sozinho debaixo da torneira;
Os gatos bebem agua nos bebedouros; este assim que apanha a torneira aberta sobe para beber agua diretamente da torneira;
os gatos gostam de bolinhas, ratinhos de brincar e afins; este o maior divertimento dele é andar a correr atrás dfe uma bolinha tipo berlinde;
Leva uma dose de morfina e a veterinária diz, tenham cuidado porque depois disto eles ficam sonolentos e meio tontos; nós tivémos um gato que parecia ter levado uma injecção de adrenalina, a correr atrás de tudo, mordia tudo o que apanhava (ele próprio incluido), a saltar por todo o lado e isto durante mais de 1h;
Ah, e vejam também porque têm de dar o anti inflamatório e nem sempre é fácil, podem meter na comida se for melhor; este damos diretamente à boca e ele até chupa e se lambe todo.

Conclusão, só gente doida a habitar nesta casa e nem o gato, que foi o mais recente, escapou ao registo.

sexta-feira, fevereiro 08, 2019

Enfermagem caseira

Em casa, de enfermeira...
de serviço às pintas do minorca, que ainda estão na fase de teimar em continuar a aparecer. Que chatas, chiça! E o gel, que supostamente servia para aliviar, é um filme para conseguir pôr... daqueles de terror, em que se grita muito pelo caminho. O dito cujo é cor de rosa, será por isso? Será que o rapaz acha-se menos macho por ficar todo pintalgado de rosa? Nãaaa... é mesmo por ser uma melga também... e gajo, porque gajo que é gajo queixa-se, queixa-se e volta a queixar-se se tem alguma coisa;

e de serviço ao gato, que entretanto voltou ao veterinário. Tudo porque também se achou demasiado macho para andar (i) de colares no pescoço e (ii) com um rolo, tipo linguiçinha, no rabo e, como tal, resolveu puxá-lo até sair todo o penso. E não contente, achou que roer os pontos era uma excelente ideia. A própria veterinária já o descreve como tramado, sendo o único gato que teve até hoje a quem não conseguiu colocar a coleira de protecção! Nesta casa, definitivamente, só entram doidinhos, nem o gato escapa.

quinta-feira, fevereiro 07, 2019

Pintinhas e rasgos

Hoje foi dia deles.
Por um lado o minorca recebeu a visita da bela da ... Bexigas doidas... clinicamente designada por varicela.
Apareceu a borbulha mãe e eu fiquei na esperança que fosse só impressão minha... 3 dias depois mostrou que não era... e cá vieram elas em grupinhos. Por enquanto é em dose reduzida, mas sendo gajo é um ai jesus. A irmã teve e nem um ai dava, mesmo com vontade de se arranhar... este só falta coçar-se na parede, já que não o deixam fazer com as mãos... acompanhando com uns gritos pelo meio. Vão ser uns dias longoooossssss!

E para juntar à festa, ao regressarmos a casa pela manhã demos com a casa suja de sangue.... o nosso gatito resolveu deitar ao chão um vaso da varanda, mas ao brincar a quem chega primeiro ao chão... perdeu ele, mais concretamente o rabo dele, que ficou preso. Toca de ida com gato para o veterinário, lá conseguiu salvar o rabo afinal, mas do susto não se livrou. E toca de lavar a casa toda, com paredes incluidas.

Está a ser um final de semana giro.

quarta-feira, fevereiro 06, 2019

As manhãs dificeis

Nós adultos temos muitas dessas, principalmente aqueles dias em que a ultima coisa que apetece é ir trabalhar (quando se trata de sitios em que até uma morgue consegue ter mais agitação!).
Ora, as crianças também terão direito a ter as delas. O que não quer dizer que isso não sirva para nos deixar de cabelos em pé logo pela manhã!
Entre um e outro vão alternando as manhãs, é o que vale.
Hoje a princesa não estava contente com a fatiota e tudo a incomodava... hoje era daquelas manhãs que nem que fosse um traje real isso lhe agradaria. Fala-se, explica-se... quando não resulta, ok vestes isto e pronto porque temos de despachar para chegar todos a horas. Foi democracia... da mãe... e ponto final.
E nisto, sua exa. minorca, eximio em birras matinais, mas que, por acaso, hoje não estava para aí virado (já tinha esgotado a sua dose ontem ao fim do dia!), vira-se para a mãe e diz: mamã, nada disso, não andes a chatear a miúda (entenda-se, a mana)... isto dito de nariz empinado e ar autoritário.
Pelo menos ajudou os cabelos a descer.

terça-feira, fevereiro 05, 2019

O "mamã, você..."

Nunca tratei os meus pais por você, nem eles a mim e não creio que seja por isso que os respeito mais ou menos ou eles a mim.
Como tal também não trato os meus filhos por você, nem eles aos pais.
Para mim esse tipo de tratamento cria um distanciamento e não propriamente uma ligação de respeito. Não é por tratar por você que há mais respeito.

Mas vê-se muito disso por aí.
E o que gosto mesmo é quando apanho daquelas mães do "oh menino, você isto e você aquilo...", porque é bem, porque adoram o papel de projeto de "tia" da linha e depois à mais pequena coisa estala logo o verniz e sai um chorrilho qualquer que apenas demonstra a falta de ligação, de afeto e de paciência para com a criança em causa e a falta de educação dos próprios pais.

Sempre achei que devemos respeitar as nossas origens e choca-me um bocadinho que alguém que nunca teve quaisquer bases semelhantes, que pode até ter casado (ou gostava de...) com alguém com esse tipo de antecedentes, ou que tem amigos nessas bases, que adopte esse tipo de "sistemas" só porque todos também o fazem, não respeitando aquilo que são as suas próprias bases.